Castelli Romani

Duração 8 horas.
Deslocamento de ônibus particular.
Reserve >

GROTTAFERRATA – Mosteiro Esarchico de Santa Maria

A visita guiada aos Castelli Romani começa por Grottaferrata, no Mosteiro “Esarchico di Santa Maria” também conhecido como Abadia Grega de São Nilo.
O mosteiro foi fundado no ano 1004 por monges gregos que chegaram ao Lazio vindo do sul da Itália e cujo líder carismático era São Nilo de Rossano.


Grottaferrata


Hoje em dia abriga a Congregação Italiana dos Monges Basilianos, criada pela Igreja Católica para reunir os Mosteiros de ritual bizantino espalhados na Itália toda durante a Idade Média. Este Mosteiro, embora fundado antes da divisão entre as Igrejas de Roma e Costantinopoli, continuou guardando seus rituais enquanto mantinha contatos com o Bispo de Roma.

CASTEL GANDOLFO – Palácio Pontifício

Visitaremos depois no Município de Castel Gandolfo, o Palácio Pontifício também conhecido como Palácio Apostólico. O Palácio fica numa área de 55 hectares localizada cerca de 50 Km. de Roma e que pertence ao Estado Vaticano desde a época do papa Urbano VIII (1623-1644).
Normalmente os Pontífices visitam o Palácio uma vez por ano.


Castel Gandolfo



CASTEL GANDOLFO – Praça e Igreja de São Tomas de Vilanova

A colegiada de São Tomas de Vilanova, é o maior lugar de culto católico da cidade de Castel Gandolfo, sua Paróquia inclui a Igreja da “Madonna del Lago” em Albano, projetada por Gianlorenzo Bernini por encomenda do papa Alessandro VII. A Igreja, como o Palácio e outras construções anexas, também fica em território do Vaticano.

NEMI – Lago e Museu dos Navios Romanos

Nosso itinerário prosseguirá para Nemi, cujo território ao redor do lago constitui uma área muito importante pelo meio ambiente, pela história e pelas descobertas arqueológicas, pois a tradição agrícola do lugar contribuiu a manter a paisagem quase intacta.


Nemi


O importante Museu dos Navios Romanos foi realizado no ano 1935 para abrigar os restos dos cascos do imperador Caligola. Infelizmente no ano 1944 um incêndio destruiu dois dos navios expostos.

Frascati

Iremos depois visitar a Basílica Catedral de São Pedro Apóstolo que fica no centro histórico de Frascati, na Praça São Pedro.
Antigamente neste território, além desta, existiam mais cinco matrizes onde se encontrava o trono episcopal : a “ Labicana quintanense” na via Labicana XV milha, a “tuscolana” na cidade de Tuscolo, a igreja de Nossa Senhora no Mosterio em Roma ao “Esquilino” e, desde 1538, a antiga igreja de Nossa Senhora em “Vivario” em Frascati.


Frascati


A bela fachada, construída por pedras vindo das pedreiras de Monte Porzio Catone e travertino vindo de Tivoli, ladeada por duas torres sineiras, cada uma levando un relógio. A fachada é dividida em duas bandas sobrepostas por uma cornija de mármore sustentada em baixo por quatro meia-colunas ao centro e quatro pilastras ao lado.
Na parte inferior entre os três portais existem nichos abrigando estátuas de São Sebastião (por Girolamo Gramignoli) São Tiago Menor (por Giuseppe Napolioni) São Felipe Apóstolo (por Vincenzo Felici) e São Roco (por Pietro Mauri); um relevo em mármore por Bernardino Cometti retrata Jesus repreendendo Pedro pela sua falta de fé .
Na banda acima ao lado da grande janela em arco pleno têm estátuas de São Pedro e São Paulo em nichos.

Villa Aldobrandini (por fora)

A Villa Aldobrandini, também conhecida como “Villa del Belvedere” é uma joia artística italiana do fim do século XVI. Fica em cima do morro panorâmico que domina a cidade e tem uma história pluri secular. Foi construída pelo cardeal Pietro Aldobrandini, neto do papa Clemente VII em cima de um edifício de 1550 já pertencido a monsenhor Alessandro Rufini. As obras de construção levaram quatro anos, de 1598 a 1602 sob a direção do arquiteto Giacomo della Porta e foram completados no ano 1621 pelos arquitetos Carlo Maderno e Giovanni Fontana.

Monte Porzio Catone

A área arqueogeológica de “Tusculum” foi uma cidade pré-romana, romana e medieval do Lazio que fica nos “ Colli Albani “ na região dos “Castelli Romani”.
A origen lendária de Tusculum remonta-se a Telegono, filho de Ulisse, ou ao rei Latino Silvio, neto de Silvio, filho de Enea. O geógrafo alemão naturalizado italiano Filippo Cluverio recusa estas lendas e afirma que a cidade foi fundada pelos Latinos cerca de trezentos anos antes da guerra de Troia. Pesquisas recentes demostram que muitas lendas surgidas nos Colli Albani sobre a fundação de Roma, como entre outras a dos famosos gêmeos Romolo e Remo, se misturaram nas várias épocas com mitos locais. No território de Tusculun foram encontrados restos bastante antigos, datando pois os primeiros assentamentos na idade do Cobre enquanto as habitações nas encostas do monte Tuscolo surgiram na idade do Ferro.

MUSEU “DIFFUSO DEL VINO”

O Museu, inaugurado no ano 2000, é arrumado em três adegas tradicionais, nos lugares onde antigamente o vinho era produzido e guardado, que ficam numa rua do centro histórico, formando assim o “museu difundido”
A coleção consta de utensílios e equipamentos mostrando os principais processos para a produção do vinho: desde o cultivo da vite à colheita da uva, da fermentação ao engarrafamento e venda do produto final. Tem também testemunhos sobre a vida e os ofícios ligados à produção e venda do vinho.
Desde 2013, devido ao uso de wi-fi, o visitante pode visionar no smartfone a vida dos antigos vinicultores, pela introdução desta tecnologia o museu tornando-se multimédia, facilita o conhecimento da história pela viva voz dos protagonistas.