Villa Gregoriana

Duração 2 horas.
Fones de ouvido obrigatórios para grupos de mais 14 pessoas.
Reserve >

O nome deste sugestivo parque natural e arqueológico em Tivoli vem do Papa Gregorio XVI que no ano 1835 fez desviar o rio Aniene para realizar uma cachoeira conseguindo assim resolver o problema das enchentes e aluviões. As importantes obras de engenharia e hidráulica junto com a beleza do lugar e os testemunhos arqueogeológicos tornaram a Villa um dos destinos privilegiados do Grand Tour. A Villa ficou no maior desleixo do fim do século XX até 2005, quando o FAI Fundo Ambiente Italiano atuou uma reforma e a abriu para o público.
Nossa visita guiada à Villa Gregoriana consta de um agradável passeio no parque, no bosque, por belas trilhas cheias de grutas e cachoeiras até chegarmos à Acrópole onde se encontram os templos de Vesta e Sibilla.


Visita Guidata Villa Gregoriana


Começando nossa visita, logo depois da entrada, encontramos os túneis artificiais que formam a Grande Cachoeira. O melhor panorama se pode curtir mais em baixo: um pequeno balcão chamado de “ferradura” debruçado sobre a cachoeira alta 120 metros. Descendo rumo o canal da Stipa, reformado por Gianlorenzo Bernini no ano 1669, encontramos a Gruta de Netuno e a das Sereias ambas escavadas pelo rio Aniene ao longo dos séculos. Olhando em cima as grutas veremos a Ponte Lupo antigamente usada para o gado, depois atravessamos o sugestivo túnel escavado nas pedras no ano 1809 pelo então governador de Roma o general francês Miollis. Voltamos a subir pela escadaria de pedra até a Acrópole onde encontramos dois importantes templos, que se tornaram verdadeiro cartão postal de Tivoli.


Villa Gregoriana Tivoli


Por causa do forte misticismo do lugar aqui surgiram cultos ligados à natureza e às águas. O chamado Templo de Vesta virou o verdadeiro símbolo da cidade, sua forma redonda gerando um conjunto harmonioso com a paisagem, bem perto fica o chamado Templo da Sibila, de forma retangular erguido cenograficamente em cima de um terraço artificial.