Museu Nacional dos Instrumentos Musicais

Duração 2 horas.
Fones de ouvido obrigatório para grupos.
Reserve >

A visita guiada começa pelo prédio “Samoggia” antigamente quartel “Principe di Piemonte” ao lado da igreja de Santa Cruz em Jerusalém , lugar cheio de importantes testemunhos arqueológicos da antiga Roma (Palácio Imperial, Circo Variáno e Anfiteatro Castrense).
A coleção de instrumentos musicais existe devido à pesquisa do tenor Evangelista Gorga (1865-1957) que no fim de uma rápida e brilhante carreira, recolheu mais de 150.000 objetos variados de diferentes épocas, entre eles tem uma ampla coleção de instrumentos musicais abrangendo cerca de 2000 anos.


Visita Guidata Museo Nazionale degli Strumenti Musicali


O Museu foi inaugurado em 1974 e continua adquirindo outros preciosos instrumentos como a “Arpa Barberini”, o piano de Bartolomeo Cristofori, o clavicitério. Na visita observaremos instrumentos expostos por tipo e cronologia. As duas primeiras salas exibem instrumentos arqueológicos, vestígios muito interessantes e únicos entre os dos museus do mundo. As sete salas seguintes apresentam instrumentos vindo de todos os continentes além dos da tradição italiana, os usados nas romarias, nas igrejas e por militares.
Sendo as primeiras nove salas fechadas por causa de reforma, a visita guiada começará pela sala X, dedicada ao piano construído em 1722 por Bartolomeo Cristofori, universalmente conhecido como inventor deste instrumento. Na sala XI tem, entre outros, instrumentos da coleção “Marcello Giusti del Giardino”, adquirida em 1966 pelo Estado Italiano, são notáveis os teclados pertencidos a Alessandro Marcello, irmão do célebre Benedito, e um clavicêmbalo alemão de Hans Muller de 1537 o mais antigo do mundo.


Museo Nazionale degli Strumenti Musicali di Roma


A mesma sala mostra uma rica coleção de alaudes antigos hoje sumidos, violões, mandolins, címbalos e espinetas dos séculos XVII e XVIII. A sala XII expõe vários instrumentos do século VII e XIII e na sala XIV encontramos uma das obras prima do Museu A “Harpa Barberini” maravilhosa escultura que, construída entre 1606 e 1620 para a família Barberini foi emprestada ao célebre músico e compositor Marco Marazzoli e devolvida depois aos Barberini. A Arpa foi representada em 1639 pelo pintor Lanfranco na tela “Alegoria da Musica” que fica no Palácio Barberini. Na sala XV encontraremos um címbalo incomum o “clavicitério” instrumento vertical e o belíssimo órgão positivo napolitano do século XVIII dotado de um “registro das aves”: dez cânulas de chumbo levando água para uma vasilha.
Nosso itinerário se conclui no segundo andar onde tem a reconstrução do estúdio do músico e compositor Giovanni Sgambati (1841-1914) tal como o original que ficava na Praça de Espanha.